COMPRIMIDOS, DRÁGEAS, CÁPSULAS- SÃO IGUAIS?

0
101

OI GALERA!

OS MEDICAMENTOS, SUPLEMENTOS, ANTIBIÓTICOS COSTUMAM VIR EM EMBALAGENS COM OS NOMES ACIMA.

MAS SERÁ QUE SÃO IGUAIS QUANDO VOCÊ INGERE? TEM A MESMA EFICIÊNCIA SE SUBSTITUIR UM PELO OUTRO?

A RESPOSTA É NÃO PARA TUDO!

VAMOS VER POR QUÊ?

O tipo de apresentação do medicamento ou suplemento, vai depender do tipo de ação que se quer e onde ela vai ocorrer: estomago, intestino…

COMPRIMIDOS
Mistura do princípio ativo em pó com substâncias que dão liga, como o amido ou a goma arábica. Eles são compactados até ficarem uniformes.


DRÁGEAS
Bem similares aos comprimidos. A diferença está numa película externa, que impede a degradação dos seus compostos.


CÁPSULAS
Revestidas de um material gelatinoso para proteger o conteúdo interno e facilitar a deglutição. Podem ser sólidas ou líquidas.

MODO DE AÇÃO:

1. Porta de entrada

Comprimidos, drágeas e cápsulas acessam o corpo pela boca. Há alguns comprimidos mastigáveis ou sublinguais em que a absorção é bem rápida e ocorre logo de cara. Eles são usados em situações de emergência, como um infarto.

2. Túnel até a barriga

Os medicamentos passam pela garganta, descem pelo esôfago e chegam ao estômago. Lá, o ácido clorídrico quebra o comprimido em pedaços menores. As drágeas e cápsulas são resguardadas por películas, e isso impede que elas sejam destruídas nessa fase.

3. Prontos para ação

A etapa final do processo acontece no duodeno, o primeiro trecho do intestino delgado. Cápsulas e drágeas finalmente perdem seu envoltório e são assimiladas. A digestão dos comprimidos, que se iniciou no estômago, também é finalizada.

4. Missão dada…

Os princípios ativos caem na corrente sanguínea e passam a circular pelos vasos. Quando chegam ao local em que vão agir, se ligam a receptores presentes na superfície das células e desencadeiam uma série de reações. Sua missão terapêutica está cumprida.

APROFUNDANDO:

No caso das cápsulas e pílulas ingeridas pela boca, a primeira parada do princípio ativo é no estômago, após passar pela faringe e esôfago, chegando ao intestino, de onde os vasos sanguíneos absorverão os princípios ativos do medicamento.

Pelas artérias e veias, o remédio caminha por longas avenidas até atingir as moléculas conhecidas como receptores, que têm a mesma fórmula química, ou seja, agem diretamente no local onde existe a doença, explicada pela alteração no funcionamento do organismo.

Pelo fato do uso ser por via oral, o efeito demora mais para começar a dar resultados, ao contrário de outras formas de aplicação, como injetável ou sublinguais (comprimidos que dissolvem embaixo da língua).

São exemplos os analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios. A maioria dos medicamentos não são absorvidos pelo cérebro, exceto os ansiolíticos, também conhecidos como calmantes.

Nesse caso, eles possuem uma estrutura complexa que consegue passar a barreira hematoencefálica, responsável por proteger o órgão das substâncias químicas. Este tipo de medicamento reduz a excitação dos neurônios, diminuindo os impulsos nervosos que causam a ansiedade.

Os comprimidos apresentam alta precisão na dosagem e conteúdo, permitindo uma variedade de espessuras e formas. Outra característica é que são invioláveis, ou seja, não possibilitam a adulteração do conteúdo. Já as drágeas são revestidas com uma camada à base de açúcar, com aspecto liso e brilhante. São fáceis de engolir e possuem sabor adocicado.

No caso das cápsulas, existe uma mistura do fármaco com os excipientes (substâncias utilizadas na fórmula dos remédios) em um invólucro à base de gelatina, também conhecidos como blindados. São as formas sólidas mais utilizadas nas farmácias de manipulação. Também são eficientes em mascarar sabor e aparência desagradáveis, além de permitirem a rápida liberação dos princípios ativos.

DICAS:

A ingestão de qualquer um deles sem o uso de líquidos, pode provocar a parada do medicamento na faringe e provocar uma inflamação.

Não esqueça que o estômago tem ácido clorídrico, o que quebra os comprimidos , já na chegada .

Isso não ocorre com as drágeas , que tem revestimento que suporta o ácido clorídrico e chega até o intestino para degradação e absorção.

O mesmo ocorre com as cápsulas gelatinosas.

Abrir uma cápsula para tomar o conteúdo dentro dela? Nem pensar!!! O medicamento é inviolável e só pode ser degradado no intestino.

Cortar o comprimido ou drágea no meio?

Só se houver a especificação para isso,porque uma vez que você quebra, a barreira da drágea também é quebrada e sua absorção e ação podem não ser as esperadas.

Tempo para tomar esses medicamentos: se foi estalecido de 8/8 horas; 6/6 horas; 12/12 horas, siga à risca!

Esse tempo tem a ver com a ação do medicamento em encontrar o local que necessita dele e fazer a conexão. E como unir duas peças de Lego= tem que ser compatíveis para encaixar.

E mais uma vez, atenção para a auto medicação.

Nem sempre aquela dor de cabeça tão sua conhecida, é somente uma dor de cabeça depois de um dia estressante.

Dores frequentes precisam ser analisadas.

Lembre disso na próxima cartela de comprimidos/drágeas/ cápsulas!

fontes:Saúde Abril, hipolabor.com.br e Superinteressante

Resultado de imagem para COMO AGEM AS DRAGEAS
imagem: A Enfermagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here