FAMÍLIA 16 – ANTIGA 6 – OU 6 A

0
176

ESSA TABELA PERIÓDICA É FEITA DE FAMÍLIAS!! E ELAS SÃO MUITO AFINADAS, TEM SUAS CARACTERÍSTICAS E PROPRIEDADES QUE SE REPETEM NOS ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DELA.

ENTÃO VAMOS PARA A 16° FAMÍLIA!!

Localização dos calcogênios na tabela periódica
FAMÍLIA 16- FAMÍLIA DOS CALCOGÊNIOS- imagem: mundoeducacao.uol.com.br

Os calcogênios são todos os elementos químicos localizados na família ou grupo 16 (conhecida antigamente como família VIA), que recebem esse nome por causa da origem grega Khaltos (que quer dizer cobre) com a junção do termo genos, que quer dizer “origem nobre”.

De uma forma geral, os calcogênios apresentam como principal característica o fato de os elementos naturais (com exceção do livermório, que é artificial) dessa família formarem compostos químicos com o elemento cobre (Cu).

Os elementos químicos que formam essa família são:

  • Oxigênio (O, número atômico 8),
  • Enxofre (S, número atômico 16),
  • Selênio (Se, número atômico 34),
  • Telúrio (Te, número atômico 52),
  • Polônio (Po, número atômico 84),
  • Livermório (Lv, número atômico 116).

De uma forma geral, trata-se de elementos químicos considerados ametais, ou seja, com a tendência de ganhar elétrons e formar ânions, com exceção dos elementos Polônio e Livermório, que são metálicos. Assim, os elementos dessa família podem originar compostos tanto moleculares (por meio de ligação covalente) quanto iônicos (por meio de ligação iônica).

Como estão localizados na região direita da Tabela Periódica, os calcogênios apresentam, em relação às principais propriedades periódicas, as seguintes características:

  • Possuem raio atômico pequeno quando comparados com os elementos das famílias IA a VA, por exemplo;
  • Possuem elevada energia de ionização pelo fato de apresentarem um baixo Raio Atômico;
  • Sua afinidade eletrônica e eletronegatividade são elevadas quando comparados com as outras 15 famílias à esquerda deles (IA a VA);
  • Possuem baixa eletropositividade por apresentarem baixo raio atômico.
  • São menos densos dos que os elementos localizados na região central (Família B) da Tabela Periódica.

OXIGÊNIO

Ciclo do Oxigênio. Etapas do ciclo do oxigênio - Brasil Escola
Como o oxigênio é um gás, aqui está a sua fórmula química imagem: brasil escola uol
Oxigênio líquido – imagem: Wikipédia

CARACTERÍSTICAS

O Oxigênio é um elemento químico que pertence ao segundo período da família VIA (calcogênios) da Tabela Periódica. Trata-se do elemento mais abundante na superfície terrestre. Todos sabemos da importância vital desse elemento, já que ele forma o gás oxigênio (gás presente no ar atmosférico que é fundamental para a sobrevivência de diversos seres).

Características atômicas

O oxigênio é composto por átomos que apresentam número atômico (Z) igual a 8 e massa atômica igual a 16 u. Sendo assim, seus átomos apresentam:

8 prótons no interior do núcleo;

8 elétrons nos orbitais;

Uma média de 8 nêutrons no núcleo do átomo.

OBS.: O número de nêutrons depende do número de massa de cada isótopo do oxigênio. Na natureza, existem três isótopos:

8O16: apresenta 8 nêutrons no interior do núcleo, número que resulta da subtração do número de massa (16) pelo número atômico (8);

8O17: apresenta 9 nêutrons no interior do núcleo, número que resulta da subtração do número de massa (17) pelo número atômico (8);

8O18: apresenta 10 nêutrons no interior do núcleo, número que resulta da subtração do número de massa (18) pelo número atômico (8).

Apresenta alta eletronegatividade (capacidade de atrair elétrons de outro átomo);

Apresenta raio atômico pequeno;

Apresenta elevada energia de ionização (é necessária muita energia para retirar um elétron do seu átomo);

É um ametal e, por isso, apresenta tendência de ganhar elétrons (formar ânion);

Deve receber dois elétrons para que seu átomo torne-se estável, segundo a teoria do octeto, já que apresenta seis elétrons na camada de valência.

Ele é gás em temperatura ambiente;

Inodoro;

Ponto de fusão: -218,4 °C;

Ponto de ebulição: – 182,8°C;

Suas moléculas são formadas por dois átomos de oxigênio;

Suas moléculas apresentam geometria linear (com ângulo de 180 °C).

Características do gás ozônio (O3)

Ele é gás em temperatura ambiente;

Apresenta odor forte;

Ponto de fusão: -249,4 °C;

Ponto de ebulição: – 111,3°C;

Configuração eletrônica:  1s² 2s² 2p4  família 16 ou 6 , 2° período, com 6 elétrons na camada de valência .

USOS

O oxigênio é elemento essencial à vida. Toda a respiração dos seres vivos utilizam esse gás ( exceção para aqueles que fazem a respiração anaeróbia ) .O processo de respiração celular é bem complexo, mas o oxigênio é usado em várias oxidações até reduzir a glicose a energia e gás carbônico.

Além disso, ele é um oxidante poderoso, só perdendo para o flúor.

uso do oxigênio é feito por diferentes indústrias. Por exemplo, ele é utilizado pela indústria para soldadura nas mais diferentes áreas, como a montagem de eletrodomésticos e automóveis. O O2 contribui para a combustão dos gases combustíveis utilizados no processo.

Apesar de ser utilizado ar comprimido, a substância aumenta a eficiência térmica da soldagem, o que reduz consideravelmente a velocidade do processo — além de um resultado mais satisfatório.

O gás também tem participação na indústria siderúrgica para a fabricação do aço — uma liga de ferro e carbono. Submetido a altas temperaturas (que podem ultrapassar os 1.500 ºC), funde-se o de ferro e coloca-se carvão, que atua como um redutor. No processo, o oxigênio se desprende do minério, deixando o ferro puro.

Além disso, por ser indispensável para a vida humana, a indústria hospitalar produz os cilindros de oxigênio, que são reservatórios da substância pura em estado gasoso utilizados no tratamento de oxigenoterapia.

Esse recurso terapêutico pode ser feito na casa do paciente ou em hospitais, e proporciona uma recuperação mais eficiente. Para casos mais simples, os pacientes podem fazer seus tratamentos com cilindros de oxigênio portátil.

Para uso estritamente hospitalar, é armazenado em cilindros de alta pressão e apresenta pureza de 99,5%. Já para o uso medicinal doméstico, um aparelho chamado concentrador de oxigênio separa o gás do ar atmosférico, atingindo um nível de 93% de pureza.

oxigênio líquido também é utilizado na tecnologia astronáutica para a propulsão de foguetes.

Já a indústria química faz uso do oxigênio, reagindo O2 e etileno, obtém-se o óxido de etileno. Esse, por sua vez, é convertido em etilenoglicol, material utilizado como base na fabricação de anticongelantes e polímeros de poliéster, importante para a indústria têxtil.

Também, o oxigênio compõe a molécula de peróxido de hidrogênio (H2O2), popularmente conhecida como água oxigenada. Ela é utilizada para esterilização de feridas nas pele, ajudando em sua cicatrização. Além disso, o composto é utilizado como clareador de pelos e cabelos, deixando-os descoloridos. As indústrias de papel e de tecido também fazem uso da propriedade descolorante em seus produtos.

Diretrizes da OPAS ajudam países a melhorar uso de oxigênio a partir das  lições aprendidas na pandemia de COVID-19 | RETS - Rede Internacional de  Educação de Técnicos em Saúde
Cilindros de oxigênio – imagem: Rets

ENXOFRE

Enxofre: características, alotropia e aplicações - Manual da Química
Enxofre- imagem; Manual da Química

CARACTERÍSTICAS

  • Em temperatura ambiente seu estado é sólido
  • É um não-metal insípido e inodoro
  • Possui coloração amarelo-limão
  • Ele é insolúvel em água
  • Seu número atômico é 16 (16 prótons e 16 elétrons)
  • Sua configuração eletrônica é 1s2 2s2 2p6 3s2 3p4 família 16 ou ; 3° período, com 6 elétrons na última camada.
  • Sua densidade é de 1,96 g/cm3
  • O ponto de fusão (PF) é 388,36 K
  • O ponto de ebulição (PE) é 717,87 K
  • Sua massa atômica é 32 u
  • as formas alotrópicas do enxofre são as moléculas de S2, S4, S6 e S8.

VIDEO SOBRE O FOGO GREGO 🙁 fórmula possivelmente usava enxofre )

O ácido sulfúrico (H2SO4) é o principal composto de enxofre utilizado pela indústria, cuja produção anual supera milhões de toneladas. Sua aplicação é tão importante que a quantidade de ácido sulfúrico consumida por um país informa um índice de industrialização do local. Entre os principais usos do ácido sulfúrico, estão a produção de fertilizantes de fosfato e outros produtos químicos agrícolas; o refino de petróleo; a mineração; o processamento de metais, tintas e produtos de papel; e a fabricação de polímeros sintéticos e baterias ácidas.

Uma outra utilização de grande importância industrial para o enxofre é o processo de vulcanização da borracha, desenvolvido por Charles Goodyear, nos Estados Unidos, e Thomas Hancock, na Inglaterra. Ambos desenvolveram patentes, em 1840, para o método. A vulcanização da borracha traz uma melhora pronunciada nas propriedades químicas e físicas do material, evitando o seu amolecimento em temperaturas elevadas ou o seu congelamento em contato com o frio, além de torná-lo mais resistente quimicamente.

Nesse processo, o enxofre é utilizado para ligar as macromoléculas da borracha, criando uma rede de ligações cruzadas, como se ele “costurasse” essas macromoléculas, em um processo reacional intermolecular. O método da vulcanização foi de grande importância para toda a indústria, principalmente a automobilística, que se apropriou da técnica para a fabricação de pneus.

O enxofre possui utilização na indústria farmacêutica na formulação de bactericidas, antibióticos, entre outros. A sildenafila, princípio ativo do remédio para disfunção erétil Viagra®, possui enxofre em sua composição.

QUEIMA DO ENXOFRE EM OXIGÊNIO PURO:

SELÊNIO

Selênio (Se): propriedades, onde encontrar, função - Brasil Escola
Selênio- imagem : Brasil Escola Uol

CARACTERÍSTICAS:

selênio é um elemento químico pertencente ao grupo ou família 6A da classificação periódica  ou família dos calcogênios, possui número atômico 34, massa atômica 78,96 g mol-1, ponto de fusão 220°C e ponto de ebulição de 685°C. A coloração do elemento esta diretamente relacionada com suas formas alotrópicas, sendo a mais estável, a cristalina hexagonal que apresenta uma cor cinza metalizada, a forma monoclínica apresenta cor vermelha e o selênio amorfo tem coloração vermelha escura tendendo ao preto.

É insolúvel em água e álcool, ligeiramente solúvel em dissulfeto de carbono e solúvel em éter.

Exibe o efeito fotoelétrico, convertendo a luz em eletricidade. Além disso, sua condutibilidade elétrica aumenta quando exposto à luz. Também é um micronutriente importante para a vida . É encontrado no pão, nos cereais, nos pescados, nas carnes e nos ovos. Um alimento tipicamente brasileiro, a castanha do Pará, é o alimento que mais contém selênio.

USOS

O selênio possui uma infinidade de aplicações na área industrial, além de ser um nutriente indispensável ao bom funcionamento do nosso organismo.

Em razão de suas propriedades fotocondutoras, ele é amplamente empregado em células solares ou fotovoltaicas (dispositivos que convertem a luz solar em energia elétrica) e fotocélulas (dispositivos usados para iluminação automática).

 Painéis solares que utilizam selênio em sua composição para a conversão da energia solar em energia elétrica.
Painéis solares que utilizam selênio imagem: mundoeducacao.uol.com.br

Na fabricação de vidros, é empregado como descolorante, também atribui a coloração vermelha a vidros e esmaltes. Em alguns tipos de vidro, tem a função de diminuir a incidência de luz solar nos ambientes.

Na área de fotocópias e fotografia, o selênio era amplamente utilizado, desempenhando a função de tonalizante de imagens em preto e branco. Mesmo que atualmente exista uma tendência da sua substituição por outros elementos, como o silício, essa ainda é uma aplicação relevante para ele. Além dessas aplicações, o selênio é empregado como aditivo em ligas metálicas , na composição de alguns tipos de dispositivos de armazenamento de energia, na composição de borrachas vulcanizadas a fim de melhorar a resistência mecânica, em certos tipos de inseticidas, e, até mesmo, no tratamento de algumas doenças de pele.

TELÚRIO

Telúrio (Te): período, onde é usado, obtenção - Brasil Escola
Telúrio – imagem : Brasil escola uol

CARACTERÍSTICAS

Na tabela periódica, o telúrio está localizado no grupo 16 (anteriormente grupo 6A), entre o selênio e polônio. Juntamente com enxofre, selênio e polônio, é um membro da família dos calcogênios. Além disso, está no período cinco, entre antimônio e iodo .

Em seu estado puro e cristalino, o telúrio tem uma cor branca prateada e um brilho metálico. Quando o elemento é precipitado de uma solução de ácido telúrico, parece ter uma forma amorfa. Há, no entanto, algum debate se esta forma é realmente amorfa ou composta de cristais minúsculos.

O telúrio é quebradiço e pode ser facilmente pulverizado. Quando queimado no ar, produz uma chama azul-esverdeada e forma dióxido de telúrio. Em seu estado fundido, o elemento é corrosivo para cobre, ferro e aço inoxidável.

Quimicamente, o telúrio está relacionado ao enxofre e ao selênio e forma compostos semelhantes. No entanto, enquanto o enxofre e o selênio são não-metais, o telúrio (assim como o polônio) é classificado como metaloide.

Dados

Massa atômica – 127,60 u
Configuração eletrônica –  1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 3d10 4s2 4p6 4d10 5s2 5p4. Família 15 ou 5; 5° período, com 5 elétrons na camada de valência.
Estado da matéria – sólido
Não é bom condutor de calor (conduz 3 vezes mais que o vidro, mas quase 32 vezes menos que o ferro ou 170 vezes menos que a prata). Sua densidade é próxima de 6,26 g/cm³ e os pontos de fusão e ebulição são respectivamente aproximados em 450°C e 990°C.

É o 70º elemento mais abundante na crosta terrestre.
– algumas vezes é encontrado livre na natureza; mas a abundância maior é na forma de teluretos (como na calaverita, AuTe2)

USOS

– usado em ligas; principalmente com cobre ou aço inoxidável para melhorar a usinabilidade
– adicionado ao chumbo para torná-lo mais resistente aos ácidos, melhorando a resistência e dureza
– CD e DVDs regraváveis ( veja abaixo)

Estando na forma de uma liga metálica em conjunto com o germânio e o antimônio, o telúrio então forma um material que é capaz de mudar rapidamente de fase.
Durante os processos de gravação em um DVD, o material é inicialmente levado ao seu estado cristalino, com a irradiação de um laser de baixa intensidade. O material é aquecido por este laser até atingir uma temperatura na qual ocorre a cristalização, sem ocorrer fusão. A informação pode então ser ´escrita´ nesta fase fase cristalina pelo aquecimento de pontos no material com pulsos de laser de alta intensidade e em pulsos cursos de menos de 10 nanossegundos. Com este aquecimento o material funde localmente indo até uma fase amorfa. Neste caso a fase amorfa tem uma refletividade menor do que a fase cristalina, e os dados são gravados como ´pontos escuros´ em um fundo cristalino. (Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/GeSbTe )


– como catalisador no refino do petróleo
– na dopagem com ouro, prata e cobre para uso em semicondutores
– na vulcanização de borrachas
– na coloração de vidros e cerâmicas
– em painéis solares (telureto de cádmio)
– na forma de dióxido de telúrio em microscopia confocal
– ainda em pesquisa pela Intel para ser usado em chips de memória

O telúrio não apresenta grandes problemas para a saúde do organismo, porém se presente no ar (mesmo a baixas concentrações – da ordem de 0,01mg/m³) pode causar desde ressecamento na boca e hálito desagradável à dores de cabeça e vertigens. Assim, todo e qualquer composto que contenha esse metal deve ser manuseado com a devida precaução.

POLÔNIO

Polônio - o que é, para que serve o elemento
Polônio – imagem: Química y Sociedad

CARACTERÍSTICAS

O polônio é um elemento químico de número atômico 84, pertence ao 6º período da família 16 (calcogênios) da tabela periódica, tem massa molar de 208,98 g/mol, temperatura de fusão igual a 254 ºC e temperatura de ebulição igual a 962 ºC, portanto, encontra-se no estado sólido em temperatura ambiente (cerca de 25ºC).

Esse elemento é radioativo e possui sete isótopos naturais, que são: 216Po 212Po (provenientes da série do decaimento do 232Th), 215Po e 211Po (provenientes da série de decaimento do 235U) e 218Po214Po e 210Po (provenientes da série do decaimento do 238U). Com exceção do isótopo 210Po, que é o mais abundante na natureza e que possui meia-vida de 138,376 dias, todos os demais possuem meias-vidas muito curtas.

A HISTÓRIA – PORQUE É IMPORTANTE!

A descoberta do polônio foi realizada pelo casal mais conhecido no estudo da radioatividade, Pierre Curie (1859-1906) e Marie Curie (1867-1934)Até então, os únicos elementos radioativos conhecidos eram o urânio e o tório. Mas em abril de 1898, o casal Curie observou que dois minérios do urânio, a pechblenda (óxido de urânio) e a calcolita (fosfato de cobre e uranila), eram bem mais radioativos que o próprio urânio. Isso só podia significar que havia algum outro elemento químico mais radioativo que o urânio.

O governo austríaco providenciou uma tonelada de pechblenda para o casal Curie. Depois de um trabalho bastante árduo, eles conseguiram isolar um novo elemento químico que era 400 vezes mais radioativo que o urânio. Em 18 de julho de 1898, eles enviaram um relatório para a Academia de Ciências de Paris que foi lido por Henri Bequerel. Nesse relatório, eles comunicavam sobre o novo elemento descoberto, ao qual deram o nome de Polônio em homenagem à terra natal de Marie Curie, a Polônia. Provavelmente ela pretendia com isso chamar a atenção para o seu país que, até então, não era independente, mas era partilhado pelo império russo, alemão e austro-húngaro.

Em condições ambientes, o polônio é sólido, possui brilho metálico parecido com o do chumbo (sendo considerado um semimetal, pois possui propriedades intermediárias entre os metais e os ametais) e também conduz corrente elétrica como os metais, todavia, fragmenta-se facilmente como os ametais.

Ele dissolve-se bem em ácidos, formando soluções com íons Po2+, e pode chegar ao Nox +4 quando em ácidos oxidantes concentrados. O polônio também reage com soluções alcalinas (básicas) e com halogênios, produzindo haletos.

Configuração eletrônica: 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 3d10 4s2 4p6 4d10 5s2 5p6 4f14 5d10 6s2 6p4 está no 6° período, família 16 ou 6 ou ainda, 6A .

O polônio é usado no tabaco com arsênico e naftalina, que é uma das principais causas de câncer para quem fuma.

Polônio. Polônio – um elemento químico radioativo
Polônio e os cigarros – imagem: PreParaEnem

USOS

Além de radioativo, o polônio é também muito tóxico. Tanto que ele foi usado como veneno em 2006 para matar o ex-espião russo da KGB, Alexander Litvinenko.

 O polônio possui características que o tornam perfeito para ser usado em crimes de envenenamento. Por ser um emissor de partículas alfa, a radiação do elemento possui curto alcance, sendo incapaz de atravessar paredes. A radiação do polônio pode até mesmo ser interrompida por uma folha de papel ou pela camada de células mortas da nossa pele, o que torna o elemento muito fácil de ser transportado, podendo ser levado, inclusive, em um pequeno pote de vidro bem fechado. É capaz de aniquilar um adulto com uma dose de apenas 1 micrograma. Com apenas 1 grama de polônio um terrorista seria capaz de matar 10 milhões de pessoas.

Mas o polônio também possui aplicações benéficas. Ele é usado, por exemplo, como fonte de nêutrons quando misturado ou em forma de liga com o berílio. Ele foi a fonte radioativa usada no Experimento de Rutherford, que resultou na descoberta da estrutura atômica e em um novo modelo atômico.

Ele também é usado pela indústria para eliminar eletricidade estática causada pela laminação de papel, manufatura de plásticos e fiação de fibras sintéticas; é selado em escovas ou pincéis que removem a poeira de filmes fotográficos e lentes de câmeras; é usado para melhorar a performance das velas de motores de combustão interna e vem sendo estudado como possível fonte de calor para a fabricação de pilhas termoelétricas de pouco peso que seriam usadas em satélites artificiais.

Discos com amostras de polônio, vendidos para laboratórios (Fonte da imagem: Sciene Photo Library)

LIVERMÓRIO

Símbolo Do Livermorium Sinal Livermorium Com Número Atômico E Peso Atômico  Lv Elemento Químico Da Tabela Periódica Com Brilho Ilustração Stock -  Ilustração de modelo, substância: 160969344
imagem: Dreamstime

CARACTERÍSTICAS

Nome, símbolo, número: Livermório, Lv, 116
Série química: desconhecida
Grupo, período, bloco: 16, 7, p
Densidade, dureza: 12 900 (est.)[1] kg/m3,
Massa atômica: (293) u
Raio covalente: 175 (est.)[2] pm
Configuração eletrônica: 

Elétrons (por nível de energia): 2, 8, 18, 32, 32, 18, 6 [1]
Estado(s) de oxidação: 2, 4 [1]

Trata-se um elemento artificial, radioativo, superpesado, provavelmente metálico, sólido e com aparência prateada.

O nome do elemento é uma homenagem ao Laboratório Nacional Lawrence Livermore (LLNL, na sigla em inglês) e à cidade de Livermore, na Califórnia. Isso porque o livermório foi sintetizado em um trabalho conjunto de cientistas do LLNL e do Instituto de Pesquisa Nuclear de Dubna, na Rússia. Antes de receber este nome, ele era chamado provisoriamente de ununhéxio.

Durante os experimentos foram sintetizados apenas poucos átomos de livermório, que, por ser extremamente instável, dura menos de um segundo. Não se tem muito conhecimento a respeito de suas propriedades, mas supõe-se que os compostos deste elemento sejam bem malcheirosos.

USOS

Por sua instabilidade, reduzido tempo de meia-vida e dificuldade de coleta, não existem aplicações industriais ou comerciais para este elemento e sua implementação é relegada apenas para pesquisa científica.

SUPERCURIOSIDADES:

Alexander Litvinenko antes (esquerda) e depois do envenenamento (Fonte da imagem: Wikipedia/Nuclear W. Archive)

Em 2006, o polônio voltou a ser personagem em um caso de intriga política. Dessa vez, na Rússia, pátria do ex-espião da KGB Alexander Litvinenko, que foi envenenado quando começou a se voltar contra seus superiores e fazer acusações contra o governo de Vladimir Putin.

Apesar de trágico, o envenenamento de Litvinenko é considerado o primeiro caso de morte provocada pelos efeitos agudos da radiação alfa. Acredita-se que a dose de polônio 210 utilizada para o assassinato do ex-espião foi muitas vezes maior do que a dosagem letal máxima, levando-o à morte em um período de três semanas.

Além de sentir algumas sintomas já no dia de seu envenenamento, Litvinenko ficou muito doente cerca de 11 dias depois e chegou a um estado de saúde crítico no 20º dia de internamento.

O falecimento ocorreu no 23º dia. Pouco antes da morte, Litvienko sofreu um ataque cardíaco, provavelmente provocado também pelo polônio, que a essa altura já havia danificado seu sistema cardiovascular. ( https://www.tecmundo.com.br/quimica )

Cuidado: quem fuma ingere polônio!

Apesar de muito perigoso, o polônio está presente em quantidade alarmante em alguns produtos comerciais, como a escova utilizada por fotógrafos para eliminar a energia estática durante a limpeza e manutenção das câmeras fotográficas. Além disso, o polônio também é usado como fonte de energia termoelétrica em satélites.

De acordo com artigos publicados no American Journal of Public Health e no Journal of the Royal Society of Medicine, a indústria tabagista tentou, por mais de 40 anos e em segredo absoluto, remover o elemento do tabaco utilizado na produção de seus produtos, mas não obteve sucesso. Os resultados das pesquisas nunca foram publicados e, além disso, a indústria faz o possível para ignorar o caso e evita tocar no assunto.

Enquanto isso, cerca de 11.700 pessoas morrem, anualmente, por causa do câncer de pulmão provocado pela ingestão de polônio 210, como noticiado pelo jornal The Age.

Será que um dia veremos o símbolo de radioatividade estampado nos maços de cigarro?(https://www.tecmundo.com.br/quimica/15082-polonio-o-mais-letal-dos-venenos.htm)

Elementos radioativos - Mundo Educação
imagem: mundo educação

pesquisas: Wikipédia ; escolaeducacao.com.br; tabelaperiodica.org; preparaenem.com; infoescola.com; tecmundo.com.br ; conhecimentocientifico.com; diariodonaturalista.com.br;

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here