FUNDAMENTOS DA RADIOATIVIDADE -CINÉTICA RADIOATIVA

0
712

OI, GALERA!!
Quando falamos em radioatividade, precisamos falar de cinética radioativa!
afinal, se o elemento radioativo vai emitir partículas e seu número de massa e número atômico vão mudar, então o elemento será outro!!!!
E isso acontece até que o elemento adquira estabilidade.

A cidade de Chernobyl não pode ser repopulada pelo fato de o isótopo radioativo presente no local ter uma velocidade de desintegração muito lenta
A cidade de Chernobyl não pode ser repopulada pelo fato de o isótopo radioativo presente no local ter uma velocidade de desintegração muito lenta.( Uranio 235 )

Quando um radionuclídeo emite partículas alfa ou beta, ele se transforma, como sabemos, em outro nuclídeo diferente. Assim, à medida que o tempo passa, a quantidade de radionuclídeo vai diminuindo.

Tempo de meia-vida ou período de semidesintegração (representado por t1/2 ou P) é o tempo necessário para que metade da quantidade de um radionuclídeo presente em uma amostra sofra decaimento radioativo.

Meia-vida dos elementos radioativos. Meia-vida — radioatividade
meia vida de um elemento químico – Manual da Química

Quando a massa de um radioisótopo se reduz à metade, também se reduzem à metade o número de átomos, a quantidade em mols e a atividade radioativa (desintegrações por segundo) desse radioisótopo.
O tempo de meia-vida é uma característica de cada radionuclídeo e não depende da quantidade inicial do radionuclídeo nem de fatores como pressão, temperatura e composição química do material (lembre-se de que radioatividade é um fenômeno nuclear, e não químico).
Graficamente, podemos representar o processo de decaimento radioativo através da chamada curva exponencial de decaimento:

Elementos radioativos - Alfaconnection

curva exponencial de decaimento – a cada meia vida, a massa decai pela metade, gerando a curva acima. Alfa connection

Alguns elementos radioativos e seu tempo de meia vida:

Tabela com a meia-vida de alguns radioisótopos

Imagine que determinado elemento possua x átomos com atividade radioativa. Após o primeiro período de meia-vida, o número de átomos radioativos será de x/2. Em seguida, após o terceiro período de meia-vida, o número de átomos será de x/4 e x/8 após o quarto período. Analisando a sequência: x, x/2, x/4, x/8…

Podemos concluir que o termo geral é da forma:


onde,
n = número de átomos final
n0 = número de massa inicial
x = número de períodos transcorridos ou meia vida.

Exemplo:

 Um elemento químico radioativo possui hoje 64 átomos radioativos. Sabendo que seu período de meia-vida é de 15 dias, quantos átomos radioativos ele terá no final de 3 meses?

Solução: Temos que 3 meses = 90 dias = 6 x 15 dias = 6 períodos de meia-vida. Portanto t = 6. O número de átomos radioativos hoje é de 64, portanto x = 64. Aplicando a expressão citada anteriormente, teremos:

Assim, podemos concluir que ao final de 3 meses esse elemento químico terá apenas 1 átomo radioativo.

Ou pode resolver dessa outra forma:

3 meses correspondem a 90 dias. Esses 90 dias vão dar 6 ciclos de 15 dias. Então, a cada 15 dias, perde metade da massa:

64 átomos—-> 32 átomos —> 16 átomos —> 8 átomos —-> 4 átomos –—> 2 átomos —> 1 átomo . 

( cada flecha vermelha corresponde a 15 dias) 

fontes:http://quimicasemsegredos.com
http:// agracadaquimica.com.br ; http://educacao.uol.com.br

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here