GASOLINA CARA- QUAL O MELHOR HORÁRIO PARA ABASTECER?

0
147

OI!

ESTAMOS EM 2022, GUERRA ENTRE RÚSSIA E UCRÂNIA,E OS PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS E OUTROS PRODUTOS IMPORTADOS DESSAS ÁREAS ESTÃO COLOCANDO A INFLAÇÃO NAS ALTURAS!

NESSES CASOS, ECONOMIZAR CADA CENTAVO PODE FAZER DIFERENÇA NA CONTA FINAL.

VAMOS AOS FATOS:

OS TANQUES DE COMBUSTÍVEIS SÃO ENTERRADOS :

Enchendo um tanque subterrâneo – imagem : Wikipédia

Os tanques subterrâneos  são usados para o armazenamento de combustíveis fósseis. Esta classe de tanques, fabricados em aço-carbono, ficam sujeitos aos efeitos da corrosão principalmente nos pontos de solda das chapas e conexões. Os principais fatores que influenciam o processo de corrosão estão relacionados com o pH, a umidade e a salinidade do solo onde os tanques estão enterrados. Estatísticas norte-americanas indicam que 91 % dos tanques subterrâneos sofrem corrosão a partir do seu exterior, enquanto que, apenas 9% deles sofrem corrosão a partir da parte interna.

O tanque subterrâneo é um reservatório de aço carbono com capacidade para até 30 mil litros. Os tanques podem ter até três compartimentos internos para armazenar até três produtos diferentes (gasolina, álcool e diesel) e sub compartimentos para as variedades premium,aditivada e comum.

Para reabastecer seu carro, um posto de combustível precisa ter muito mais do que um frentista e uma bomba.

Por baixo do concreto armado e das bombas de abastecimento estão enterradas tubulações, instalações elétricas, sensores e os tanques de combustíveis. Eles estão enterrados, visando a segurança, por serem líquidos inflamáveis. Tem sensores que avisam se há algum vazamento e eles bloqueiam a saída do combustível, evitando a contaminação do solo.

Serviços – Ribeirão Postos
Diagrama de um posto com seus tanques – imagem: serviços Ribeirão Postos

O LANCE DO CALOR E DA GASOLINA

Como qualquer outro líquido ou sólido, tanto a gasolina quanto o etanol sofrem alterações no estado físico sob calor intenso, isso porque ambas as substâncias são voláteis, ou seja, elas passam facilmente do estado líquido para o gasoso. 

Isso tende a ocorrer de forma ainda mais intensa quando a temperatura está muito elevada, pois as moléculas começam a se separar alterando o estado do combustível para gasoso, e consequentemente esse gás se dissipa no ar. 

Funciona assim. Se você abastece o veículo em um horário onde a temperatura está muito alta, você compra menos líquido do que em períodos onde a temperatura está mais baixa. Isso ocorre porque quando está muito quente, o combustível expande e a mesma massa ocupa um volume maior. ( densidade = massa / volume : A densidade não muda, logo se o volume aumenta, a massa vai diminuir.)

Quando a temperatura está mais abaixo, as moléculas ficam mais concentradas, ocupando menor espaço. O que ocorre, é que o volume quem muda, no entanto quem faz a diferença é a massa, que permanece a mesma. Entretanto, na bomba você paga pelo volume, mas o que faz o carro rodar é a massa, ou seja, quanto mais massa tiver, mais quilômetros seu carro vai fazer!

Se você costuma abrir o tanque do seu carro para reabastecer entre 11hrs e 15hrs, saiba que o seu dinheiro pode estar virando pó, ou melhor, gás dissipado. Contudo, o ideal é abastecer na parte da manhã e se possível nos primeiros horários, ou no período da noite, após às 18hrs, pois a temperatura estará mais baixa, e a gasolina permanecerá em estado líquido, evitando a perda.

Outro fato interessante: a gasolina não congela nem no Alasca! Seu ponto de congelamento é – 100°C ( isso mesmo, negativo!) .Na evaporação, o processo é muito mais presente e rápido: A evaporação da gasolina acontece no momento em que o bico da bomba é retirado do tanque do veículo. “A prova que ela é existe é a obrigatoriedade de que frentistas usem máscara. A intenção é justamente evitar a inalação desses vapores” : esse vapor que vai embora, leva parte da sua massa de gasolina junto!!! A temperatura ambiente só exerce influência na quantidade de gasolina armazenada no veículo durante o abastecimento. Uma vez realizado o procedimento, não há perda de gasolina devido às altas no termômetro. Aliás, a taxa de evaporação da gasolina é em torno de 30%- considerada alta.

Segundo estudos realizados, a perda é de 4 mililitros, a cada 50 litros. Isso pode parecer pouco para quem utiliza o carro esporadicamente… mas em uma frota de carros ou caminhões, esses 4 mililitros fazem diferença.. motoristas de táxis que o digam!

AGORA LEIA SOBRE ESSES “MITOS” DE ECONOMIA DE GASOLINA E PORQUE ELES NÃO FUNCIONAM!!!

Entenda os mitos sobre economizar combustível que fazem o carro gastar mais

1 Usar ponto morto em descidas

Esse hábito, que em algumas regiões do Brasil também é conhecido como “dirigir na banguela”, não é recomendado e não reduz o consumo de combustível.

Na verdade, colocar o câmbio em ponto morto faz o carro gastar mais gasolina do que se estivesse engrenado. É o que explicam os fabricantes de veículos e especialistas no assunto.

Isso acontece porque o sistema de injeção já vem calibrado de fábrica para reduzir o consumo quando você tira o pé do acelerador com o veículo engrenado.

Ou seja, o motor recebe apenas a quantidade necessária de combustível para se manter girando.

Opte por seguir as normas de trânsito e desça engrenado na marcha correta. Desta forma o carro “entende” que está na descida e não precisa fazer força, o que não acontece quando está em ponto morto.

2 Deixar as rodas desalinhadas

Algumas pessoas ainda acreditam que deixar as rodas do carro desalinhadas é um recurso para economizar combustível. Mas não é.

Muito pelo contrário: um carro desalinhado vai consumir mais, porque com as rodas sem o devido alinhamento, uma delas não pode rodar normalmente.

Ou seja, será exigido mais mais força no motor e, portanto, mais combustível para manter o carro em movimento.

3 Calibrar pneus quentes para economizar combustível

Calibrar pneus quentes além de ser prejudicial para a roda, faz com que o motorista ajuste a pressão mantendo-a inferior à indicada. E isso, por sua vez, aumenta o gasto de combustível.

Isso acontece porque o ar aquecido se expande e eleva a área de contato do pneu com o piso, demandando mais energia para percorrer determinada distância.

A fabricante de pneus Continental explica que a cada 3 psi abaixo da especificação indicada, o consumo de gasolina aumenta em 2%.

Por exemplo: ao rodar 30 mil km em um ano, com a pressão abaixo da recomendada, perde-se cerca de 55 litros de combustível.

A calibragem deve ser feita com o veículo parado há, pelo menos, uma hora. Ou que tenha rodado não mais do que 3 km em velocidade reduzida.

4 Deixar de usar o ar-condicionado e abrir as janelas

Sim, é verdade que o ar-condicionado pode aumentar em 20% ou até mais o consumo de combustível. Isso acontece porque o compressor do equipamento é acionado por uma correia ligada ao motor.

Mas desligar o aparelho em rodovias e abrir os vidros para compensar a falta do resfriamento vai fazer o carro gastar mais combustível ainda.

Isso acontece porque a turbulência de ar que entra na cabine acaba exigindo mais esforço do motor para manter o veículo em movimento. Ou seja, o consumo aumenta mais do que se com a climatização ligada.

Em dias quentes na estrada, a melhor opção é dirigir com o ar ligado e os vidros fechados. Se você usa o equipamento adequadamente, ainda pode ter um gasto razoável de gasolina.

Ajuda a economizar combustível e ficar atento à temperatura externa. Se não estiver muito quente, não é necessário o resfriamento máximo.

5 Rodar somente pequenas distâncias

É até compreensível o raciocínio de que se rodar menos, vai gastar menos. Mas é importante entender o funcionamento do carro para compreender que não é bem assim que funciona.

Acontece que quando você liga o carro, o motor precisa atingir uma determinada temperatura para o calor expandir os componentes internos e, assim, funcionar.

Então, se você usa o carro continuamente em deslocamentos muito curtos, insuficientes para atingir essa temperatura, acelera o desgaste e eleva o consumo de combustível.

Dirigir durante menos de 15 minutos, por exemplo, não é o suficiente para esquentar o óleo do motor. Ou seja, rodar pouco a cada dia não garante economizar combustível e ainda faz o carro beber mais.

É por isso que existem carros com baixa quilometragem que apresentam mais desgaste que outros mais rodados. Nesta comparação, provavelmente o carro menos desgastado funciona a maior parte do tempo na temperatura ideal.

pesquisas: https://portalcorreio.com.br; super.abril.com.br ; https://www.hojemais.com.br, Wikipédia, https://financeone.com.br

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here