USO DAS NANOPARTÍCULAS NA LIMPEZA AMBIENTAL

0
44

OI GALERA!!!!

Aqui um texto, da Nature Chemistry, onde mostra como as nanopartículas podem ser usadas para a despoluição ambiental, principalmente água.

NANOPARTÍCULAS E A LIMPEZA AMBIENTAL

A nanotecnologia pode oferecer soluções rápidas e eficazes para a limpeza
ambiental. Nisto, copolímeros dibloco anfifílicos ( – copolímeros contém
duas ou mais unidades diferentes que se repetem) são usados ​​para desenvolver
uma plataforma de nanopartículas fotossensíveis com núcleo e camadas. A
irradiação com luz ultravioleta remove a camada protetora responsável pela
estabilidade coloidal; como resultado, as nanopartículas são rapidamente e
irreversivelmente convertida em agregados macroscópicos. A separação de fases
permite que a medição associado a partição de moléculas pequenas entre a fase
aquosa e nanopartículas; dados sugerem que as interações são melhoradas
diminuindo a dimensão das partículas. Adsorção em nanopartículas pode ser
explorado para remover eficientemente poluentes hidrofóbicos de água e solo
contaminado.
Preliminares experiências in vivo sugerem que o tratamento com
nanopartículas  ​​pode reduzir significativamente a
teratogenicidade de bisfenol A, o triclosan e 17α-etinilestradiol, obviamente,
sem gerar subprodutos tóxicos. Experiências-piloto em pequena escala sobre águas residuais, papel de impressão térmica e solos contaminados demonstrar a aplicabilidade da abordagem.
O que quer dizer: NANOPARTÍCULAS PODEM SER ASSOCIADAS A SUBSTANCIAS ALTAMENTE TÓXICAS, FORMANDO MACROMOLÉCULAS QUE SÃO RETIRADAS!
A exposição a certos produtos químicos, como bifenilos policlorados , pesticidas
e certos compostos desreguladores endócrinos está associada com maior
predisposição ao câncer , diabetes , obesidade, infertilidade e outras perturbações endócrinas.  Embora o impacto preciso destes produtos químicos sobre a prevalência de doenças ainda é desconhecida a precaução para minimizar a libertação de produtos químicos no meio ambiente são recomendados . Enquanto prevenção dos resíduos e a gestão adequada dos fluxos de resíduos estariam entre as práticas mais sustentáveis​​, a alta prevalência de águas e solos contaminados exige o desenvolvimento de
novas estratégias para a despoluição.
QUANTO MAIS POLUÍDO, MAIOR A CHANCE DE DOENÇAS !

Resultado de imagem para nanoparticulas para limpeza da água

A nanotecnologia pode oferecer soluções rápidas e eficazes para a limpeza  ambiental.
Por exemplo, membranas nanoestruturadas com poros seletivos pode fornecer formas eficientes de separar solutos da água .
Além de filtração, a remoção de contaminantes por sequestro (remediação e
adsorção) ou degradação de produtos menos tóxicos (remediação reativa) pode
representar uma alternativa eficaz. Os nanomateriais possuem uma grande relação de superfície/volume que favorece a interação com o seu ambiente. Por
exemplo, os nanomateriais têm o potencial para adsorver eficazmente moléculas
ou catalisar reações químicas na sua interface. Um exemplo importante de um
material nanoestruturado capaz de remover contaminantes por sequestro é
conhecido como monocamadas auto-montadas em suportes mesoporosos (SAMMS). SAMMS são formados por auto-montagem de surfactantes . A cerâmica mesoporosa tem  alta área de superfície que permite a extração
eficiente de metais pesados ​​da parte aquosa e não aquosa. Para
descontaminação de solos, suspensões coloidais de nanomateriais anfifílicos são
preferidas porque permitem infiltração no sedimento. Em contraste com as micelas de tensioativo, nanopartículas poliméricas são estáveis ​​a todas as
concentrações.
A tecnologia mais avançada  baseando-se na degradação de contaminantes utiliza nanopartículas contendo ferro de valência zero ou magnésio 12. Estas nanopartículas são injetados em solos ou aquíferos;eles podem remediar bifenilas policloradas e outros compostos clorados porredução na interface água-metal.
Duas preocupações possivelmente dificultam a aplicação desta tecnologia são a formação de produtos secundários potencialmente tóxicos . Tendo em conta os riscos para a saúde e ecológicos desconhecidos que esta tecnologia possa ter, encontrar meios eficazes para separar o nanomaterial da amostra tratada é de particular importância. Para permitir a separação, o uso de paramagnética Fe3O4 com  nanopartículas de TiO2 . A concha TiO2 atua como fotocatalisador para a degradação de poluentes orgânicos em água; o núcleo  Fe3O4 permite a separação magnética da dispersão.

Resumindo:

As nanopartículas são preparadas por auto-montagem de copolímeros anfifílicos de dibloco; o núcleo hidrofóbico( não gosta de água ) das nanopartículas atua como”armadilha” de moléculas hidrofóbicas, enquanto a coroa hidrofílica( gosta de água )  estabiliza o sistema. Por irradiação com luz ultravioleta, as nanopartículas mudam a sua camada de estabilização, perder sua estabilidade coloidal e formam agregados macroscópicos. Estes agregados são enriquecidos com o poluente e pode ser facilmente separados (por exemplo, por sedimentação e decantação, centrifugação ou filtração). A irradiação com luz ultravioleta não é necessária para sequestrar o poluente; no entanto, fornece uma clareza na precipitação que permite explorar a estabilidade coloidal e grande área de superfície das
nanopartículas em conjunto com a segurança e facilidade de manuseamento de  materiais volumosos.

Resultado de imagem para nanoparticulas para limpeza da água
Removendo a poluição da água por meio de nanopartículas Vaults preenchidas com enzimas de micro-organismos. imagem:http://www.nanocell.org.br
texto traduzido pelo XQUIMICA  do original :

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here