TERRAS RARAS

2
207

OI GALERA!!! O QUE A AMAZÔNIA TEM? TERRAS RARAS!

Resultado de imagem para terras raras
Imagem= Infoescola

Terras raras são substâncias químicas usadas na indústria para a produção de diversos itens.

Embora sejam abundantes, as terras raras, ou metais de terras raras, recebem esse nome por serem de difícil extração.

Macias, maleáveis, dúcteis e de coloração que varia de cinza escuro a prateado, as terras raras são compostas por 17 elementos químicos, sendo eles o escândio (Sc), o ítrio (Y) e mais 15 lantanídeos: lantânio (La), cério (Ce), praseodímio (Pr), neodímio (Nd), promécio (Pm), samário (Sm), európio (Eu), gadolínio (Gd), térbio (Tb), disprósio (Dy), hólmio (Ho), érbio (Er), túlio (Tm), itérbio (Yb) e lutécio (Lu).

Suas propriedades químicas e físicas são utilizadas em uma grande variedade de aplicações tecnológicas e estão incorporadas em supercondutores, magnetos, catalisadores, entre outros. Essas substâncias também foram muito usadas em tubos de raios catódicos para televisores e computadores.

A maioria das terras raras são extraídas pela China, maior exportadora do mundo desses elementos. Mas devido à diminuição da exportação pelo país asiático, outros países como Brasil e Alemanha passaram a se dedicar à mineração de terras raras.

Com o número limitado de locais economicamente viáveis para se minerar terras raras e também por causa dessa menor quantidade exportada pela China, a reciclagem se tornou necessária para a disponibilidade do elemento pelo mundo. Entretanto, de acordo com estimativas, uma parte ínfima dos elementos que compõem o grupo das terras raras é reciclada, apesar de a maior quantidade das substâncias ter a possibilidade de ser recuperada.

O problema é que o processo de reciclagem de terras raras é complicado, pois após recolher o material, ele deve passar por um processo químico de separação. Em seguida, os elementos químicos devem ser purificados e, no caso de óxidos, devem ser combinados com outros produtos para serem reutilizados.

Os perigos atrelados

Devido à presença comum de tório ( Th) e urânio (U) em minérios de terras raras, torna-se um perigo minerar, refinar e reciclar esse tipo substância, pois são elementos radioativos. Além disso, no método de refinamento são necessários ácidos tóxicos – e qualquer má utilização ou vazamento desses ácidos pode causar grandes danos ambientais.

Em 2011, a mina Bukit Merah, na Malásia, foi culpada por causar defeitos de nascença e leucemia em moradores de uma cidade de onze mil habitantes. A Mitsubishi, que explorou a mina até 1992, teve que gastar US$ 100 milhões para efetuar a limpeza do local.

 

Brasil e as Terras Raras

Desde que a China começou a diminuir sua extração e a se tornar mais rígida com a mineração e exportação das terras raras, muitos países começaram a procurar fontes dentro de seus territórios. O Brasil não foi exceção e tem discutido amplamente essa possibilidade. (https://www.ecycle.com.br/ )

MAIS SOBRE TERRAS RARAS:

Os elementos são muitas vezes referidos como “óxidos de terras raras” porque muitos deles são normalmente vendidos como compostos de óxido.

A China controla cerca de 85% a 95% de toda a produção e fornecimento de terras raras. No ano passado, o país produziu cerca de 78% do volume global de terras raras.

Os metais e ligas que os contêm são usados em muitos dispositivos que as pessoas usam todos os dias, como memória de computador, DVDs, baterias recarregáveis, telefones celulares, catalisadores, ímãs, iluminação fluorescente e assim por diante.

Nos últimos 20 anos, houve uma explosão na demanda por muitos itens que exigem metais de terras raras. Havia muito poucos telefones celulares em uso na época, mas o número subiu para mais de sete bilhões em uso hoje. O uso de terras raras em computadores cresceu quase tão rapidamente quanto o número de telefones celulares.

Muitas baterias recarregáveis são feitas com compostos de terras raras. A demanda pelas baterias está sendo impulsionada pela demanda por dispositivos eletrônicos portáteis, como telefones celulares, leitores, computadores portáteis e câmeras.

Terras raras também são usadas como catalisadores, fósforos e compostos de polimento para controle da poluição do ar, telas iluminadas em dispositivos eletrônicos e muito mais. Todos esses produtos devem experimentar uma demanda crescente.

Os militares usam elementos de terras raras em óculos de visão noturna, armas guiadas com precisão, equipamentos de comunicação, equipamentos de GPS, baterias e outros componentes eletrônicos de defesa.


(https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2019052913970661-china-eua-metais-raros/ )

NO BRASIL:

O Brasil possui, ao lado do Vietnã, a segunda maior reserva de terras raras no mundo, estimada em 22 milhões de toneladas, de acordo com o Serviço Geológico dos EUA.

A produção fica em torno de 2 mil toneladas por ano. A exploração começou ainda no século XIX na faixa litorânea entre o norte do Rio de Janeiro e sul da Bahia.

Inicialmente os minerais eram usados como lastro para os navios. Mais tarde começaram a ser usados em lampiões a gás. Até meados dos anos 1950, o Brasil, ao lado da Índia, chegou a liderar o mercado mundial, mas acabou ultrapassado por produtores como a África do Sul, que modernizaram e dinamizaram a produção.

Em 2011 as terras raras foram consideradas “minerais estratégicos” pelo Plano Nacional de 2030 do Ministério de Minas e Energia, considerando que o uso dos elementos vai aumentar cada vez mais nos próximos anos. De acordo com outro estudo, o “Usos e Aplicações de Terras Raras no Brasil: 2012-2030”, o país tem potencial para expandir sua produção e atuar como um dos principais exportadores. As maiores reservas se encontram   no Amazonas, na área de Seis Lagos, e em Minas Gerais, na região de Araxá.

Os estudos também defendem mais investimento em tecnologias para o uso local das terras raras. Uma iniciativa está em processo final de implementação: é o LabFabITR, o primeiro laboratório e fábrica de ímãs de terras raras no Brasil. Com investimento do governo de Minas Gerais, o laboratório começará a operar com capacidade anual de produzir 23 toneladas de ímãs por ano, podendo chegar a 100 milhões de toneladas nos próximos anos.


(https://oglobo.globo.com/ )

Resultado de imagem para imãs de terras raras
IMÃS DE NEODÍMIO- TERRAS RARAS

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here